Bem-vindo
Partidas
Término
Próximas partidas
28 Mar
23:58
Argentina e Uruguai perdem e Brasil se classifica à Copa do Mundo

Uma ambiciosa Bolívia venceu nesta terça-feira por 2 a 0 a Argentina, enfraquecida pela ausência de Lionel Messi, suspenso por quatro rodadas por ofensas a um auxiliar de arbitragem, enquanto o Uruguai foi derrotado ppelo Peru, dois resultados que ajudaram o Brasil a se classificar para a Copa do Mundo-2018.

O Brasil venceu o Paraguai por 3 a 0 em São Paulo, gols de Philippe Coutinho, Neymar e Marcelo, e chegou a 33 pontos, se tornando a primeira equipe no mundo a garantir vaga na Rússia pelas eliminatórias.

A vitória do Peru sobre o Uruguai por 2 a 1 em Lima, na partida de encerramento da 14ª rodada das eliminatórias, decretou a classificação brasileira, porque os uruguaios, 3º colocados com 23 pontos, e a Argentina, 5ª com 22, se enfrentam na próxima rodada e um dos dois não poderá alcançar o líder Brasil.

Na primeira partida do dia, na altitude de La Paz, a Bolívia pressionou uma Argentina sem o suspenso craque Lionel Messi.

Após o goleiro Sergio Romero segurar o ímpeto boliviano nos primeiros 20 minutos de jogo, fazendo boas defesas em finalizações de Marcelo Moreno e Juan Carlos Arce, a Argentina conseguiu colocar a bola no chão e controlar a posse de bola.

Aos 28, os argentinos chegaram com muito perigo. Di Maria recebeu de Pratto na cara do gol, mas desperdiçou a chance, chutando em cima do goleiro Lampe.

A resposta boliviana veio logo em seguida.

No ataque que seguiu, Pablo Escobar cruzou a bola na área, Romero demorou para sair e Arce, ex-Corinthians e Sport, apareceu para desviar de cabeça paras as redes.

No segundo tempo, a Argentina se mostrou mais ofensiva e decidida a agredir a defesa boliviana, mas sem Messi, não conseguia criar chances claras de gol.

A Bolívia acabou selando sua vitória aos 18 minutos. No lance, Jorge Flores fez jogada espetacular pela esquerda e cruzou na medida para Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, dominar e chutar com força, sem chances para Romero.

- Colômbia mostra força -

Em Quito, a Colômbia construiu sua vitória graças a um primeiro tempo primoroso contra o Equador.

Aos 20 minutos de jogo, o camisa 10 Cafetero, James Rodríguez, abriu o placar quase sem querer, mandando a bola para as redes de costas, após ótima jogada e cruzamento de Miguel Borja que desviou no zagueiro Ayoví.

Aos 33, a Colômbia voltou a apostar em seu lado esquerdo para chegar ao segundo gol, parecido com o primeiro. Cardona lançou bonito, James dominou e cruzou para a área. Desta vez, Juan Cuadrado apareceu para mandar a bola para o gol equatoriano.

No segundo tempo, o Equador tentou pressionar a Colômbia, mas se viu limitado pela expulsão aos 15 minutos de Luis Caicedo, que recebeu segundo cartão amarelo após falta dura em Aguilar.

Com um jogador a mais, a Colômbia controlou o jogo, dominou a posse de bola e esperou o tempo passar para garantir a segunda vitória seguida nas eliminatórias, que vale à seleção Cafetera a consolidação na zona de classificação à Copa do Mundo da Rússia-2018.

- Chile entra na zona de classificação -

Jogando em Santiago, o Chile aproveitou o apoio de sua torcida para dominar completamente a Venezuela e vencer por 3 a 1, uma vitória que recoloca a 'Roja' na zona de classificação à Rússia-2018.

Assim como a Colômbia, os chilenos aproveitaram um início de jogo devastador para construir rapidamente a vitória.

Alexis Sánchez abriu o placar aos 4 minutos de jogo e Esteban Paredes anotou os outros dois gols chilenos (7 e 22 minutos). A Venezuela descontou em cabeçada de Salomon Rondón (62).

Na última partida do dia, o Uruguai teve a chance de recuperar a segunda colocação, usurpada mais cedo pela Colômbia, mas foi superada em Lima pelo Peru, que venceu por 2 a 1.

O atacante do Flamengo Paolo Guerrero foi o destaque peruano do jogo, com um gol e uma assistência para Édison Flores. Carlos Sánchez anotou o gol do Uruguai.

Após 14 rodadas disputadas, as eliminatórias sul-americanas tem o classificado Brasil na primeira colocação (33 pts), seguido de Colômbia (2º, 24 pts), Uruguai (3º, 23 pts) e Chile (4º, 23 pts), todos na zona de classificação. A Argentina aparece na 5ª colocação (22 pts), que vale a vaga na repescagem.

Ainda sonham com uma vaga Equador (6ª, 20 pts), Peru (7º, 18 pts) e Paraguai (8º, 18 pts). Bolívia (9ª, 10 pts) e Venezuela (10ª, 6 pts) estão eliminadas.

Na próxima rodada, em 31 de agosto, a Argentina, ainda sem Messi, terá uma difícil visita a Montevidéu contra o Uruguai, a Bolívia viajará a Lima para enfrentar o Peru, enquanto a Colômbia visita a Venezuela em Caracas e o Equador vem ao Brasil encarar Neymar e companhia.

© 2017 AFP

28 Mar
23:44
Neymar brilha contra Paraguai e Brasil garante vaga na Rússia

Com outra exibição de gala, o Brasil venceu com facilidade por 3 a 0 o Paraguai, nesta terça-feira na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 14ª rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo-2018, e se tornou a primeira seleção a garantir vaga no Mundial da Rússia.

Com gols de Philippe Coutinho, aos 33 minutos de jogo, de Neymar, aos 18 do segundo tempo, e Marcelo, a cinco minutos do apito final, o Brasil chegou à oitava vitória seguida nas eliminatórias desde que Tite assumiu o comando da equipe.

Neymar voltou a ser o protagonista da seleção brasileira, com jogadas de efeito, dribles desconcertantes e um gol. Nos últimos quatros jogos em casa com o Brasil, o craque do Barcelona balançou as redes quatro vezes e deu quatro assistências.

Neymar também contou com a ajuda de um coadjuvante de luxo, Paulinho, que vem se destacando no esquema montado por Tite. Na quinta-feira passada, o volante anotou três gols na vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai. Nesta terça, deu duas assistências preciosas nos gols de Coutinho e Marcelo.

Para garantir a classificação à Copa da Rússia matematicamente, o Brasil precisava torcer por uma série de outros resultados, que acabaram se confirmando.

Além da vitória brasileira sobre o Paraguai, a 14ª rodada das eliminatórias sul-americanas viu a Colômbia (2ª, 24 pts) vencer o Equador (6º, 20 pts) por 2 a 1, o Peru superar o Uruguai (3º, 23 pts) pelo mesmo placar e a Argentina (5ª, 22 pts) ser derrotada pela Bolívia.

Com estes resultados, o Brasil (33 pts) soma agora 10 pontos de vantagem sobre o Uruguai (3º) e 11 sobre a Argentina (5ª), a quatro rodadas para o fim das eliminatórias.

Como as duas rivais se enfrentam na próxima rodada, no dia 31 de agosto, uma das duas não poderá mais alcançar na tabela a seleção de Tite, que garante assim terminar entre os quatro primeiros colocados.

- Brasil mantém o pique -

Em fase iluminada, com 100% de aproveitamento desde que assumiu a seleção em junho de 2016, Tite manteve em campo a equipe responsável pela grande vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai na rodada passada, na quinta-feira.

O ex-técnico do Corinthians se emocionou antes da partida, ovacionado pela torcida do Timão, que o tem como um de seus ídolos históricos, em coro com os outros torcedores paulistas, gratos pela incrível transformação que conseguir colocar em prática na seleção desde que assumiu.

A única mudança na equipe foi imposta a Tite: com Daniel Alves suspenso por acúmulo de cartões, Fágner, do Corinthians, ganhou a vaga na lateral-direita e pôde jogar em sua casa, no estádio do Timão.

Lá na frente, Neymar, desta vez como capitão, liderou o trio de ataque, com o apoio de Philippe Coutinho e Roberto Firmino como centroavante.

Como era de se esperar, a seleção brasileira entrou em campo mostrando o porquê vem dominando todos os adversários que encarou desde que Tite virou o técnico.

Com trocas de passes envolventes, muita movimentação no ataque e uma forte pressão na saída de bola paraguaia, Neymar e companhia criaram diversas chances de abrir o placar.

Enquanto isso, o Paraguai mostrava suas tradicionais credencias, com um jogo violento e baseado em faltas estratégicas para não deixar os brasileiros ganharem ritmo de jogo. O alvo preferido era um: Neymar.

O craque do Barcelona recebeu cinco faltas só no primeiro tempo e, de duas delas, quase saiu o gol da seleção.

Aos 8, Neymar cobrou com força, de muito longe, obrigando o goleiro Anthony Silva a fazer defesa difícil.

Aos 25, Silva voltou a brilhar, primeiro voando para pegar a cobrança de Neymar e, em no rebote, defendendo no reflexo cabeçada na pequena área de Marquinhos.

O domínio brasileiro era incontestável. Mas, com Neymar bem marcado, Philippe Coutinho e Paulinho resolveram assumir a responsabilidade.

Aos 33, Coutinho recebeu no campo de defesa do Brasil, deixou o marcador para trás e partiu em direção do gol paraguaio. Chegando na área adversária, tocou para Paulinho, que fazia papel de pivô. Com um toquinho de primeira, o volante devolveu para o atacante do Liverpool, que chutou colocado de canhota, sem chances para Silva.

O primeiro tempo terminou com uma vitória magra do Brasil, mas a exigente torcida brasileira que lotou a Arena Corinthians gostou do espetáculo e aplaudiu de pé a seleção brasileira.

- Neymar resolve -

Na volta do intervalo, a seleção manteve a mesma intensidade, não deu brecha para o Paraguai e viu Neymar voltar a brilhar intensamente.

O craque e artilheiro do Brasil, que já vinha enlouquecendo seus marcadores, roubou bola no ataque, partiu para cima de defesa, driblou dois adversários e foi derrubado na área. O árbitro deu pênalti.

O próprio Neymar foi para a cobrança, fez sua famosa paradinha, mas Silva acertou o canto e defendeu.

A chance desperdiçada não pareceu incomodar em nada Neymar. O camisa 10 continuou buscando o jogo e driblando quem aparecesse pela frente. Aos 18, foi recompensado.

Neymar recebeu na defesa, deixou dois marcadores para trás com extrema facilidade, partiu em disparada ao ataque e, ao invadir a área, chutou colocado. A bola desviou na zaga e enganou o goleiro paraguaio antes de morrer no fundo das redes.

O segundo gol do Brasil foi uma ducha de água fria no time paraguaio, que não via a hora do juiz apitar o fim da partida para poder voltar para Assunção.

Infelizmente para os Guaranis, a seleção de Tite não parece capaz de diminuir sua intensidade. O Brasil continuou atacando sem piedade e o terceiro gol foi outra pintura.

Aos 40, Neymar iniciou a jogada, tocou para Coutinho, que encontrou Paulinho, sempre ele, fazendo o pivô novamente. Com outro toque mortal, o volante do Ghangzhou Evergrande chinês deu outro toque de calcanhar desconcertante, deixando Marcelo na cara do gol. O lateral do Real Madrid só teve o trabalho de dar um toquinho por cima de Silva.

Nos minutos finais, ao som do 'Olé!' da torcida paulista, o Brasil tocou, driblou e mostrou todo seu repertório, finalizando com chave de ouro mais uma atuação de gala de uma seleção digna da camisa que veste.

© 2017 AFP

28 Mar
23:37
Brasil é 1º classificado à Copa do Mundo da Rússia-2018

O Brasil se tornou a primeira seleção a garantir classificação à Copa do Mundo-2018 pelas eliminatórias, se juntando na competição do ano que vem à anfitriã Rússia, graças à vitória por 3 a 0 sobre o Paraguai e à derrota do Uruguai por 2 a 1 para o Peru, nesta terça-feira.

A seleção de Neymar e companhia precisava vencer seu jogo contra os paraguaios e torcer por uma série de resultados para se tornar a primeira equipe a garantir uma vaga na Rússia, o que acabou acontecendo.

Além da vitória brasileira sobre o Paraguai, a 14ª rodada das eliminatórias sul-americanas viu a Colômbia (2ª, 24 pts) vencer o Equador (6º, 20 pts) por 2 a 1, o Peru (7º, 18 pts) superar o Uruguai (3º, 23 pts) pelo mesmo placar e a Argentina (5ª, 22 pts) ser derrotada pela Bolívia, resultados que a seleção precisava para garantir matematicamente a vaga na Rússia.

Com 33 pontos, o Brasil soma agora 10 pontos de vantagem sobre o Uruguai (3º) e 11 sobre a Argentina (5ª), a quatro rodadas para o fim das eliminatórias. Como as duas rivais se enfrentam na próxima rodada, no dia 31 de agosto, uma das duas não poderá mais alcançar na tabela a seleção de Tite, que garante assim terminar entre os quatro primeiros colocados.

O feito é impressionante. Quando Tite assumiu o cargo, em junho de 2016, após uma era Dunga de resultados e futebol medíocre, o Brasil estava na 6ª colocação das eliminatórias, fora da zona de classificação à Copa do Mundo. Com o novo treinador, a seleção acumulou oito vitórias seguidas, um recorde, e se isolou no topo da tabela com enorme vantagem sobre os rivais diretos.

© 2017 AFP

28 Mar
22:07
Neymar brilha contra Paraguai e Brasil coloca um pé na Rússia

Com outra exibição de gala, o Brasil venceu com facilidade por 3 a 0 o Paraguai, nesta terça-feira na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 14ª rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo-2018, e praticamente garantiu a vaga no Mundial da Rússia.

Com gols de Philippe Coutinho, aos 33 minutos de jogo, de Neymar, aos 18 do segundo tempo, e Marcelo, a cinco minutos do apito final, o Brasil chegou à oitava vitória seguida nas eliminatórias desde que Tite assumiu o comando da equipe.

Neymar voltou a ser o protagonista da seleção brasileira, com jogadas de efeito, dribles desconcertantes e um gol. Nos últimos quatros jogos em casa com o Brasil, o craque do Barcelona balançou as redes quatro vezes e deu quatro assistências.

Neymar também contou com a ajuda de um coadjuvante de luxo, Paulinho, que vem se destacando no esquema montado por Tite. Na quinta-feira passada, o volante anotou três gols na vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai. Nesta terça, deu duas assistências preciosas nos gols de Coutinho e Marcelo.

Com o resultado, o Brasil se isolou ainda mais na liderança das eliminatórias, agora com 33 pontos, 10 a mais que o 4ª colocado Chile, e poderá se tornar a primeira equipe do mundo (além da anfitriã Rússia) a garantir matematicamente a classificação ao Mundial do ano que vem, caso o Uruguai perca para o Peru, ainda nesta terça.

- Brasil mantém o pique -

Em fase iluminada, com 100% de aproveitamento desde que assumiu a seleção em junho de 2016, Tite manteve em campo a equipe responsável pela grande vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai na rodada passada, na quinta-feira.

O ex-técnico do Corinthians se emocionou antes da partida, ovacionado pela torcida do Timão, que o tem como um de seus ídolos históricos, em coro com os outros torcedores paulistas, gratos pela incrível transformação que conseguir colocar em prática na seleção desde que assumiu.

A única mudança na equipe foi imposta a Tite: com Daniel Alves suspenso por acúmulo de cartões, Fágner, do Corinthians, ganhou a vaga na lateral-direita e pôde jogar em sua casa, no estádio do Timão.

Lá na frente, Neymar, desta vez como capitão, liderou o trio de ataque, com o apoio de Philippe Coutinho e Roberto Firmino como centroavante.

Como era de se esperar, a seleção brasileira entrou em campo mostrando o porquê vem dominando todos os adversários que encarou desde que Tite virou o técnico.

Com trocas de passes envolventes, muita movimentação no ataque e uma forte pressão na saída de bola paraguaia, Neymar e companhia criaram diversas chances de abrir o placar.

Enquanto isso, o Paraguai mostrava suas tradicionais credencias, com um jogo violento e baseado em faltas estratégicas para não deixar os brasileiros ganharem ritmo de jogo. O alvo preferido era um: Neymar.

O craque do Barcelona recebeu cinco faltas só no primeiro tempo e, de duas delas, quase saiu o gol da seleção.

Aos 8, Neymar cobrou com força, de muito longe, obrigando o goleiro Anthony Silva a fazer defesa difícil.

Aos 25, Silva voltou a brilhar, primeiro voando para pegar a cobrança de Neymar e, em no rebote, defendendo no reflexo cabeçada na pequena área de Marquinhos.

O domínio brasileiro era incontestável. Mas, com Neymar bem marcado, Philippe Coutinho e Paulinho resolveram assumir a responsabilidade.

Aos 33, Coutinho recebeu no campo de defesa do Brasil, deixou o marcador para trás e partiu em direção do gol paraguaio. Chegando na área adversária, tocou para Paulinho, que fazia papel de pivô. Com um toquinho de primeira, o volante devolveu para o atacante do Liverpool, que chutou colocado de canhota, sem chances para Silva.

O primeiro tempo terminou com uma vitória magra do Brasil, mas a exigente torcida brasileira que lotou a Arena Corinthians gostou do espetáculo e aplaudiu de pé a seleção brasileira.

- Neymar resolve -

Na volta do intervalo, a seleção manteve a mesma intensidade, não deu brecha para o Paraguai e viu Neymar voltar a brilhar intensamente.

O craque e artilheiro do Brasil, que já vinha enlouquecendo seus marcadores, roubou bola no ataque, partiu para cima de defesa, driblou dois adversários e foi derrubado na área. O árbitro deu pênalti.

O próprio Neymar foi para a cobrança, fez sua famosa paradinha, mas Silva acertou o canto e defendeu.

A chance desperdiçada não pareceu incomodar em nada Neymar. O camisa 10 continuou buscando o jogo e driblando quem aparecesse pela frente. Aos 18, foi recompensado.

Neymar recebeu na defesa, deixou dois marcadores para trás com extrema facilidade, partiu em disparada ao ataque e, ao invadir a área, chutou colocado. A bola desviou na zaga e enganou o goleiro paraguaio antes de morrer no fundo das redes.

O segundo gol do Brasil foi uma ducha de água fria no time paraguaio, que não via a hora do juiz apitar o fim da partida para poder voltar para Assunção.

Infelizmente para os Guaranis, a seleção de Tite não parece capaz de diminuir sua intensidade. O Brasil continuou atacando sem piedade e o terceiro gol foi outra pintura.

Aos 40, Neymar iniciou a jogada, tocou para Coutinho, que encontrou Paulinho, sempre ele, fazendo o pivô novamente. Com outro toque mortal, o volante do Ghangzhou Evergrande chinês deu outro toque de calcanhar desconcertante, deixando Marcelo na cara do gol. O lateral do Real Madrid só teve o trabalho de dar um toquinho por cima de Silva.

Nos minutos finais, ao som do 'Olé!' da torcida paulista, o Brasil tocou, driblou e mostrou todo seu repertório, finalizando com chave de ouro mais uma atuação de gala de uma seleção digna da camisa que veste.

© 2017 AFP

28 Mar
21:55
Brasil vence Paraguai (3-0) e se aproxima da vaga na Copa do Mundo-2018

Com outra exibição de gala, o Brasil venceu com facilidade por 3 a 0 o Paraguai, nesta terça-feira na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 14ª rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo-2018, e praticamente garantiu a vaga no Mundial da Rússia, no ano que vem.

Com gols de Philippe Coutinho, aos 33 minutos de jogo, de Neymar, aos 18 do segundo tempo, e Marcelo, a cinco minutos do apito final, o Brasil chegou à oitava vitória seguida nas eliminatórias desde que Tite assumiu o comando da equipe.

Neymar voltou a ser o protagonista da seleção brasileira, com jogadas de efeito, dribles desconcertantes e um gol. Nos últimos quatros jogos em casa com o Brasil, o craque do Barcelona balançou as redes quatro vezes e deu quatro assistências.

Neymar também contou com a ajuda de um coadjuvante de luxo, Paulinho, que vem se destacando no esquema montado por Tite. Na quinta-feira passada, o volante anotou três gols na vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai. Nesta terça, deu duas assistências preciosas nos gols de Coutinho e Marcelo.

Com o resultado, o Brasil se isolou ainda mais na liderança das eliminatórias, agora com 33 pontos, 10 a mais que o 4ª colocado Chile, e poderá se tornar a primeira equipe do mundo (além da anfitriã Rússia) a garantir matematicamente a classificação ao Mundial do ano que vem, caso o Uruguai perca para o Peru, ainda nesta terça.

© 2017 AFP

28 Mar
19:14
Sem Messi, Argentina perde para Bolívia; Colômbia e Chile vencem

Uma ambiciosa Bolívia venceu nesta terça-feira por 2 a 0 a Argentina, enfraquecida pela ausência de Lionel Messi, suspenso por quatro rodadas por ofensas a um auxiliar de arbitragem, enquanto a Colômbia venceu em Quito o Equador pelo mesmo placar e o Chile dominou a Venezuela em Santiago (3-1).

Como era de se esperar, a Bolívia, aproveitou a altitude de La Paz para iniciar a partida pressionando uma Argentina repleta de desfalques e que entrou em campo com apenas três jogadores que foram titulares na última quinta-feira, na vitória sobre o Chile (1-0): O goleiro Sergio Romero, o lateral Marcos Rojo e o meia-atacante Angel Di Maria.

Após Romero segurar o ímpeto boliviano nos primeiros 20 minutos de jogo, fazendo boas defesas em finalizações de Marcelo Moreno e Juan Carlos Arce, a Argentina conseguiu colocar a bola no chão e controlar a posse de bola.

Aos 28, os argentinos chegaram com muito perigo. Di Maria recebeu de Pratto na cara do gol, mas desperdiçou a chance, chutando em cima do goleiro Lampe.

A resposta boliviana veio logo em seguida.

No ataque que seguiu, Pablo Escobar cruzou a bola na área, Romero demorou para sair e Arce, ex-Corinthians e Sport, apareceu para desviar de cabeça paras as redes.

No segundo tempo, a Argentina se mostrou mais ofensiva e decidida a agredir a defesa boliviana, mas sem Messi, não conseguia criar chances claras de gol.

A Bolívia acabou selando sua vitória aos 18 minutos. No lance, Jorge Flores fez jogada espetacular pela esquerda e cruzou na medida para Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, dominar e chutar com força, sem chances para Romero.

Com o resultado, a Bolívia continua na penúltima colocação com apenas 10 pontos, enquanto a Argentina caiu para o 5º lugar com 22 pontos, na zona de repescagem, ultrapassada pela Colômbia (24 pts), que assumiu provisoriamente a vice-liderança das eliminatórias ao vencer o Equador (6º com 20 pts) por 2 a 0, e pelo Chile (4º com 23 pts), que passou pela Venezuela (10ª com 6 pts).

- Colômbia mostra força -

Os colombianos construíram sua vitória graças a um primeiro tempo primoroso contra o Equador em Quito.

Aos 20 minutos de jogo, o camisa 10 Cafetero, James Rodríguez, abriu o placar quase sem querer, mandando a bola para as redes de costas, após ótima jogada e cruzamento de Miguel Borja que desviou no zagueiro Ayoví.

Aos 33, a Colômbia voltou a apostar em seu lado esquerdo para chegar ao segundo gol, parecido com o primeiro. Cardona lançou bonito, James dominou e cruzou para a área. Desta vez, Juan Cuadrado apareceu para mandar a bola para o gol equatoriano.

No segundo tempo, o Equador tentou pressionar a Colômbia, mas se viu limitado pela expulsão aos 15 minutos de Luis Caicedo, que recebeu segundo cartão amarelo após falta dura em Aguilar.

Com um jogador a mais, a Colômbia controlou o jogo, dominou a posse de bola e esperou o tempo passar para garantir a segunda vitória seguida nas eliminatórias, que vale à seleção Cafetera a consolidação na zona de classificação à Copa do Mundo da Rússia-2018.

- Chile entra na zona de classificação -

Jogando em Santiago, o Chile aproveitou o apoio de sua torcida para dominar completamente a Venezuela e vencer por 3 a 1, uma vitória que recoloca a 'Roja' na zona de classificação à Rússia-2018.

Assim como a Colômbia, os chilenos aproveitaram um início de jogo devastador para construir rapidamente a vitória.

Alexis Sánchez abriu o placar aos 4 minutos de jogo e Esteban Paredes anotou os outros dois gols chilenos (7 e 22 minutos). A Venezuela descontou em cabeçada de Salomon Rondón (62).

Com a vitória, o Chile garantiu pelo menos ficar entre os quatro primeiros colocados ao fim da 14ª rodada das eliminatórias, que terá ainda os confrontos entre Brasil (1º com 30 pts) e Paraguai (7º com 18 pts) e Peru (8º com 15 pts) e Uruguai (3º com 23 pts).

Na próxima rodada, em 31 de agosto, a Argentina, ainda sem Messi, terá uma difícil visita a Montevidéu contra o Uruguai, a Bolívia viajará a Lima para enfrentar o Peru, enquanto a Colômbia visita a Venezuela em Caracas e o Equador vem ao Brasil encarar Neymar e companhia.

© 2017 AFP

28 Mar
18:19
Sem Messi, Argentina perde para Bolívia; Colômbia vence Equador

Uma ambiciosa Bolívia venceu nesta terça-feira por 2 a 0 a Argentina, enfraquecida pela ausência de Lionel Messi, suspenso por quatro rodadas por ofensas a um auxiliar de arbitragem, enquanto a Colômbia vencer em Quito o Equador pelo mesmo placar.

Como era de se esperar, a Bolívia, aproveitou a altitude de La Paz para iniciar a partida pressionando uma Argentina repleta de desfalques e que entrou em campo com apenas três jogadores que foram titulares na última quinta-feira, na vitória sobre o Chile (1-0): O goleiro Sergio Romero, o lateral Marcos Rojo e o meia-atacante Angel Di Maria.

Após Romero segurar o ímpeto boliviano nos primeiros 20 minutos de jogo, fazendo boas defesas em finalizações de Marcelo Moreno e Juan Carlos Arce, a Argentina conseguiu colocar a bola no chão e controlar a posse de bola.

Aos 28, os argentinos chegaram com muito perigo. Di Maria recebeu de Pratto na cara do gol, mas desperdiçou a chance, chutando em cima do goleiro Lampe.

A resposta boliviana veio logo em seguida.

No ataque que seguiu, Pablo Escobar cruzou a bola na área, Romero demorou para sair e Arce, ex-Corinthians e Sport, apareceu para desviar de cabeça paras as redes.

No segundo tempo, a Argentina se mostrou mais ofensiva e decidida a agredir a defesa boliviana, mas sem Messi, não conseguia criar chances claras de gol.

A Bolívia acabou selando sua vitória aos 18 minutos. No lance, Jorge Flores fez jogada espetacular pela esquerda e cruzou na medida para Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, dominar e chutar com força, sem chances para Romero.

Com o resultado, a Bolívia continua na penúltima colocação com apenas 10 pontos, enquanto a Argentina caiu para o 4º lugar com 22 pontos, ultrapassada pela Colômbia (24 pts), que assumiu provisoriamente a vice-liderança das eliminatórias ao vencer o Equador (6º com 20 pts) por 2 a 0.

- Colômbia mostra força -

Os colombianos construíram sua vitória graças a um primeiro tempo primoroso contra o Equador em Quito.

Aos 20 minutos de jogo, o camisa 10 Cafetero, James Rodríguez, abriu o placar quase sem querer, mandando a bola para as redes de costas, após ótima jogada e cruzamento de Miguel Borja que desviou no zagueiro Ayoví.

Aos 33, a Colômbia voltou a apostar em seu lado esquerdo para chegar ao segundo gol, parecido com o primeiro. Cardona lançou bonito, James dominou e cruzou para a área. Desta vez, Juan Cuadrado apareceu para mandar a bola para o gol equatoriano.

No segundo tempo, o Equador tentou pressionar a Colômbia, mas se viu limitado pela expulsão aos 15 minutos de Luis Caicedo, que recebeu segundo cartão amarelo após falta dura em Aguilar.

Com um jogador a mais, a Colômbia controlou o jogo, dominou a posse de bola e esperou o tempo passar para garantir a segunda vitória seguida nas eliminatórias, que vale à seleção Cafetera a consolidação na zona de classificação à Copa do Mundo da Rússia-2018.

Na próxima rodada, em 31 de agosto, a Argentina, ainda sem Messi, terá uma difícil visita a Montevidéu contra o Uruguai, a Bolívia viajará a Lima para enfrentar o Peru, enquanto a Colômbia visita a Venezuela em Caracas e o Equador vem ao Brasil encarar Neymar e companhia.

© 2017 AFP

28 Mar
17:50
Espanha vence França em jogo com vídeo-arbitragem; CR7 perde na Ilha da Madeira

A Espanha venceu o amistoso contra a França por 2 a 0, nesta terça-feira, na primeira partida que utilizou o recurso de vídeo-arbitragem no território francês.

Duas jogadas capitais do jogo foram definidas com o uso das imagens, entre elas o gol de Gerard Deulofeu aos 31 minutos do segundo tempo, que fechou o placar.

O meia recebeu cruzamento de Jordi Alba pela esquerda e fez, mas o bandeirinha marcou impedimento. O vídeo confirmou a posição legal do jogador e o juiz validou o segundo gol da Roja.

Antes, David Silva abriu o placar aos 23 minutos, cobrando pênalti no canto esquerdo do goleiro Hugo Lloris, que voou para o outro lado.

No fim da primeira etapa, quando o jogo ainda estava 0 a 0, os anfitriões balançaram as redes com Antoine Griezmann, mas, na jogada, o lateral Layvin Kurzawa, que participa do lance, estava impedido e o juiz invalidou o gol após ser notificado pelo árbitro de vídeo.

Sem o uso da ferramenta, que foi veloz e auxiliou a arbitragem rapidamente e de maneira eficiente, o jogo poderia ter terminado empatado em 1 a 1.

"Se foi verificado e é justo, por que não usar a vídeo-arbitragem? Desta vez foi contra nós. Se não houvesse vídeo, talvez o resultado teria sido outro. Não é uma revolução, é a evolução do futebol", declarou após o jogo o técnico da França, Didier Deschamps, muito elogioso ao uso da tecnologia no futebol.

- Holanda segue em crise -

Rival da Espanha no grupo G das eliminatórias europeias, a Itália foi até a Holanda e se impôs em Amsterdã, conquistando boa vitória por 2 a 1. Foi a a primeira partida de Fred Grim à frente dos anfitriões, depois da demissão de Danny Blind no último domingo (26).

O time da casa saiu na frente, com Alessio Romagnoli marcando contra, aos 10 minutos do primeiro tempo. A Azzurra reagiu rápido e empatou com o brasileiro naturalizado italiano Éder, aos 11, e depois conseguiu a virada aos 32 com Leonardo Bonucci.

A notícia ruim ficou por conta da lesão do capitão da Roma, Daniele de Rossi, que sofreu pancada no quadril e foi substituído ainda na primeira etapa.

A derrota amplia a crise da seleção holandesa, que vem mal nas eliminatórias europeias e corre sério risco de não se classificar à Copa do Mundo-2018. Nas últimas nove partidas em casa, a Laranja saiu derrotada sete vezes, com apenas uma vitória.

Em outra partida da tarde, a Suécia surpreendeu e venceu Portugal de virada por 3 a 2, na Ilha da Madeira, terra onde o craque Cristiano Ronaldo nasceu.

A atual campeã da Europa saiu na frente com um gol do dono da festa, aos 16 minutos do primeiro tempo. CR7 recebeu belo passe de Gelson Martins e pegou de primeira para completar. Aos 34, Granqvist empurrou para as próprias redes e ampliou o placar.

Na segunda etapa, a Suécia acordou e empatou com dois gols de Claesson, aos 13 e 30 minutos. No último lance, aos 46, João Cancelo errou ao cortar cruzamento e empurrou para o gol português, virando a partida e colocando água no chope de CR7 em casa.

© 2017 AFP

28 Mar
17:40
Sem Messi, Argentina é derrotada pela Bolívia nas eliminatórias

Uma ambiciosa Bolívia venceu nesta terça-feira por 2 a 0 a Argentina, enfraquecida pela ausência de Lionel Messi, suspenso por quatro rodadas por ofensas a um auxiliar de arbitragem.

Com o resultado, a Argentina segue com 22 pontos, na 3ª colocação provisória, mas poderá perder posições para os diversos perseguidores, que entram em campo ainda nesta terça. A Bolívia continua na penúltima colocação, com apenas 10 pontos.

Como era de se esperar, a Bolívia, aproveitou a altitude de La Paz para iniciar a partida pressionando uma Argentina repleta de desfalques e que entrou em campo com apenas três jogadores que foram titulares na última quinta-feira, na vitória sobre o Chile (1-0): O goleiro Sergio Romero, o lateral Marcos Rojo e o meia-atacante Angel Di Maria.

Após Romero segurar o ímpeto boliviano nos primeiros 20 minutos de jogo, fazendo boas defesas em finalizações de Marcelo Moreno e Juan Carlos Arce, a Argentina conseguiu colocar a bola no chão e controlar a posse de bola.

Aos 28, os argentinos chegaram com muito perigo. Di Maria recebeu de Pratto na cara do gol, mas desperdiçou a chance, chutando em cima do goleiro Lampe.

A resposta boliviana veio logo em seguida.

No ataque que seguiu, Pablo Escobar cruzou a bola na área, Romero demorou para sair e Arce, ex-Corinthians e Sport, apareceu para desviar de cabeça paras as redes.

No segundo tempo, a Argentina se mostrou mais ofensiva e decidida a agredir a defesa boliviana, mas sem Messi, não conseguia criar chances claras de gol.

A Bolívia acabou selando sua vitória aos 18 minutos. No lance, Jorge Flores fez jogada espetacular pela esquerda e cruzou na medida para Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, dominar e chutar com força, sem chances para Romero.

Na próxima rodada, em 31 de agosto, a Argentina, ainda sem Messi, terá uma difícil visita a Montevidéu contra o Uruguai, enquanto a Bolívia viajará a Lima para enfrentar o Peru.

© 2017 AFP

28 Mar
16:16
Espanha vence França em jogo com vídeo-arbitragem; CR7 perde na Ilha da Madeira

A Espanha venceu o amistoso contra a França por 2 a 0, nesta terça-feira, na primeira partida que utilizou o recurso de vídeo-arbitragem no território francês.

Duas jogadas capitais do jogo foram definidas com o uso das imagens, entre elas o gol de Gerard Deulofeu aos 31 minutos do segundo tempo, que fechou o placar.

O meia recebeu cruzamento de Jordi Alba pela esquerda e fez, mas o bandeirinha marcou impedimento. O vídeo confirmou a posição legal do jogador e o juiz validou o segundo gol da Roja.

Antes, David Silva abriu o placar aos 23 minutos, cobrando pênalti no canto esquerdo do goleiro Hugo Lloris, que voou para o outro lado.

No fim da primeira etapa, quando o jogo ainda estava 0 a 0, os anfitriões balançaram as redes com Antoine Griezmann, mas, na jogada, o lateral Layvin Kurzawa, que participa do lance, estava impedido e o juiz invalidou o gol após ser notificado pelo árbitro de vídeo.

Sem o uso da ferramenta, que foi veloz e auxiliou a arbitragem rapidamente e de maneira eficiente, o jogo poderia ter terminado empatado em 1 a 1.

- Holanda segue em crise -

Rival da Espanha no grupo G das eliminatórias europeias, a Itália foi até a Holanda e se impôs em Amsterdã, conquistando boa vitória por 2 a 1. Foi a a primeira partida de Fred Grim à frente dos anfitriões, depois da demissão de Danny Blind no último domingo (26).

O time da casa saiu na frente, com Alessio Romagnoli marcando contra, aos 10 minutos do primeiro tempo. A Azzurra reagiu rápido e empatou com o brasileiro naturalizado italiano Éder, aos 11, e depois conseguiu a virada aos 32 com Leonardo Bonucci.

A notícia ruim ficou por conta da lesão do capitão da Roma, Daniele de Rossi, que sofreu pancada no quadril e foi substituído ainda na primeira etapa.

A derrota amplia a crise da seleção holandesa, que vem mal nas eliminatórias europeias e corre sério risco de não se classificar à Copa do Mundo-2018. Nas últimas nove partidas em casa, a Laranja saiu derrotada sete vezes, com apenas uma vitória.

Em outra partida da tarde, a Suécia surpreendeu e venceu Portugal de virada por 3 a 2, na Ilha da Madeira, terra onde o craque Cristiano Ronaldo nasceu.

A atual campeã da Europa saiu na frente com um gol do dono da festa, aos 16 minutos do primeiro tempo. CR7 recebeu belo passe de Gelson Martins e pegou de primeira para completar. Aos 34, Granqvist empurrou para as próprias redes e ampliou o placar.

Na segunda etapa, a Suécia acordou e empatou com dois gols de Claesson, aos 13 e 30 minutos. No último lance, aos 46, João Cancelo errou ao cortar cruzamento e empurrou para o gol português, virando a partida e colocando água no chope de CR7 em casa.

© 2017 AFP

Mais Notícias
Classificação
Série A
Copa Bridgestone Libertadores
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
16
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
18
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
Group 1
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
0
1
0
0
1
1
2
-1
0
1
0
0
1
1
2
-1
Group 2
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
3
2
1
0
1
2
2
0
1
2
0
1
1
1
4
-3
Group 3
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
0
1
0
0
1
0
1
-1
Group 4
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
3
2
1
0
1
4
1
3
0
2
0
0
2
0
5
-5
Group 5
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
3
2
1
0
1
4
7
-3
1
2
0
1
1
2
3
-1
Group 6
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
1
1
0
1
0
1
1
0
1
1
0
1
0
1
1
0
Group 7
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
3
2
1
0
1
1
1
0
3
2
1
0
1
3
4
-1
Group 8
Times
Pts
J
V
E
D
GM
GS
+/-
0
1
0
0
1
0
1
-1
0
1
0
0
1
0
2
-2