Bem-vindo
01 Jun
19:19
Salah aplaude um Liverpool 'incrível' após ganhar a Champions
27 Mai
13:57
Pochettino está otimista com a volta de Kane para a final da Champions
21 Mai
17:10
Alemanha é contra reforma da Champions mas não tem escolha, diz CEO do Dortmund

A oposição alemã ao projeto de reforma da Liga dos Campeões apresentado pela Uefa é o resultado de um "choque das culturas", segundo o presidente do Borussia Dortmund Hans-Joachim Watzke, que no entanto faz um apelo a seus compatriotas pelo compromisso.

A Liga alemã de futebol (DFL) e seus 36 clubes se posicionaram por unanimidade contra o projeto de reforma da Champions que visa uma espécie de "super Liga" europeia, com um núcleo de clubes reconduzidos de um ano para o outro, e um acesso limitado à competição por meio dos campeonatos nacionais.

Os clubes impregnados de cultura americana ou anglo-saxã "não entendem de maneira alguma o que nós sentimos, que uma sociedade fechada não é uma coisa à qual aspiramos. Eles sempre repetem: mas isso vai dar mais segurança no planejamento", disse Watzke nesta terça-feira no Signal Iduna Park, onde ele apresentava diante da imprensa um balanço da temporada do Borussia, vice-campeão da Alemanha.

"Até mesmo o Bayern e nós dissemos claramente: temos que reforçar a posição da Bundesliga", disse o diretor-executivo do Dortmund, que apesar disso avalia que a Alemanha deve assumir um compromisso, para não ficar à margem.

"A reforma chega, de uma forma ou de outra, e nós queremos que ela respeite na medida do possível o sentimento dos alemães (...) Mas ninguém deve acreditar que eles vão adotar 90% de nossas ideias. No fim das contas, eles vão nos dizer: façam o de vocês sozinhos e nós faremos nossa Liga sem vocês".

"Se a Bundesliga se isolar, o futebol alemão morre. Se não ficarmos mais no sistema, não nos desenvolvemos mais", alertou Watzke.

A maioria das ligas europeias se opõe a esta reforma. A Liga espanhola considera até possíveis recursos na justiça. Na França, a Liga (LFP) e a Federação (FFF) do país querem apresentar uma "proposta alternativa" nos próximos dias.

"Nós não vamos decidir nada sem levar em conta as opiniões de cada um", assegurou a Uefa na última sexta-feira, após um encontro em Budapeste com as federações europeias.

21 Mai
17:10
Alemanha é contra reforma da Champions mas não tem escolha, diz CEO do Dortmund
21 Mai
14:30
Roberto Firmino volta a treinar no Liverpool
16 Mai
20:55
Liverpool e Tottenham pedem a patrocinadores que cedam ingressos para a final
10 Mai
11:40
Preços explodem para finais europeias e Klopp chama Uefa de 'irreponsável'

A Uefa é "irresponsável", afirmou nesta sexta-feira o técnico do Liverpool, Jurgen Klopp, após diversos torcedores se mostrarem indignados com os preços das passagens e dos ingressos para as finais das Copas da Europa, que só terão clubes ingleses.

Tottenham e Liverpool farão a final da Liga dos Campeões em 1 de junho, em Madri, enquanto Arsenal e Chelsea se enfrentam na decisão da Liga Europa no dia 29 de maio, em Baku.

Os torcedores dos clubes londrinos terão que planejar uma viagem de 9.000 quilômetros de ida e volta até a capital do Azerbaijão.

"Os cara (da Uefa) que decidem o local das finais, eu não sei o que eles têm na cabeça... Baku, eu nem sei como chegar lá, nem sei se há voos diretos para este destino", lamentou o técnico alemão do Liverpool.

"Essas decisões precisam ser melhor pensadas, eles precisam mostrar mais consideração com os fãs quando escolhem as cidades que receberão as finais. É irresponsável, não sei como fazem isso", continuou Klopp.

De fato, não há voo direto de Londres para Baku previsto para a semana anterior à final da Liga Europa.

Os torcedores de Arsenal e Chelsea também ficaram irritados ao descobrir que a Uefa reservou apenas 6.000 ingressos para cada clube classificado à final da Liga Europa, para um estádio olímpico com capacidade para 68.700 espectadores.

O Arsenal, que também declarou publicamente sua insatisfação com o número de ingressos reservados, acredita que seus torcedores terão que desembolsar mais de 1.100 euros para ir e voltar de Baku. Isso sem contar os custos com alojamento e ingresso.

Os torcedores de Liverpool e Tottenham, que terão mais facilidades para chegar até Madri, palco da final da Champions, também viram os preços das passagens, dos hotéis e dos ingressos explodirem bruscamente.

"Nossa felicidade de chegar à final foi extinguida pelo preço da viagem, do alojamento e dos ingressos", criticaram os torcedores dos dois clubes em nota conjunta. "Os preços dos voos para Madri e para as cidades próximas aumentaram em 840%. Os preços de quartos de hotéis estão custando mais de 1.100 euros por noite e os ingressos para o jogo custam mais de 600 euros. Isso é extorsão".

"É preciso transparência da Uefa e por parte de nossos clubes sobre a maneira como os preços dos ingressos são decididos e como estes são distribuídos", concluíram os torcedores em comunicado.

kca/jw/bdx/am

AFC AJAX

10 Mai
11:38
Preços explodem para finais europeias e Klopp chama Uefa de 'irreponsável'
04 Mai
13:24
Espérance e Wydad Casablanca jogarão final da Champions africana
01 Mai
13:27
Barça vai de Coutinho e Vidal, Liverpool sem Firmino na Champions

O Barcelona optou por fortalecer o meio de campo com o chileno Arturo Vidal no lugar de Arthur e Coutinho manteve a vaga no ataque para o confronto de ida das semifinais da Champions contra o Liverpool, que não terá Firmino na equipe titular, nesta quarta-feira.

No Camp Nou, o técnico do Barça, Ernesto Valverde, optou pela força física de Vidal e pela técnica de Coutinho, deixando no banco Arthur, jogador de mais posse de bola, e o veloz Ousmane Dembélé.

Coutinho, ex-jogador do Liverpool que se transferiu em 2018 ao Barcelona por 160 milhões de euros, acompanhará no ataque Luis Suárez, outro ex-Red, e Lionel Messi, artilheiro da Champions com 10 gols.

Do lado do Liverpool, a incerteza estava na escalação de Firmino, vítima de um problema na coxa. Depois de treinar na terça-feira, o atacante brasileiro acabou sendo deixado no banco, com Mané e Salah fazendo dupla de ataque e Wijnaldum no apoio.

Escalações:

Barcelona: Ter Stegen - Sergi Roberto, Piqué, Lenglet, Alba - Rakitic, Busquets, Vidal - Messi (cap.), Suarez, Coutinho.

Técnico: Ernesto Valverde (ESP)

Liverpool: Allison Becker - Gomez, Matip, Van Dijk, Robertson - Fabinho, Milner (cap.), N. Keita - Salah, Mané, Wijnaldum.

Técnico: Jürgen Klopp (ALE)

Árbitro: Björn Kuipers (HOL)

Mais Notícias